O antigo edifício dos Paços do concelho

por Ângelo Augusto da Silva Pinho

O antigo edifício dos Paços do concelho

Ao realizar este trabalho de pesquisa, no âmbito da História Local, pretende-se descobrir a verdade sobre a posse deste edifício. Se algumas dúvidas permanecem, julga-se que com este ficam dissipadas todas elas.
Será que se consegue? É o que veremos mais à frente.

Este edifício, localizado na Praça da República, em Macieira de Cambra, surge inscrito nas Finanças como pertencente à Fundação Bissaya Barreto, com sede em Coimbra, com o nº 479 da freguesia de Macieira de Cambra. Omisso na Conservatória do Registo Predial, pretende-se saber a quem pertence o mesmo.

Na década de 20 do século XIX, já existia um edifício, localizado a Sul do actual, que terá sido construído nessa altura.

O edifício de que falamos reporta-se ao ano de 1867. Terá sido objecto de algumas reformulações. A mais significativa foi quando adaptado para”Preventório”.

Foi inaugurado em 1952. Passou a ser conhecido por “Ar Alto”.

De Paços do concelho até 1927, a “Preventório Asilo”, a partir do ano de 1953, instalaram-se, mais tarde, na década de (19) 70, dois postos de Telescola, Posto médico em 1990 e Museu Municipal no ano de 1997.

Agora, mais recentemente, este edifício é sede da Junta de Freguesia, posto de correios, e, no primeiro andar, funciona ainda o Museu.

Neste trabalho faz-se a contextualização histórica associada à história deste edifício, referindo -nos a aspectos como a integração do concelho de Macieira de Cambra no de Oliveira de Azeméis e parte ao de Albergaria à Velha, como é o caso das freguesias de Arões e Junqueira.

A mudança da sede do concelho para o lugar da Gandra e as controvérsias despoletadas em torno desta, para nos situarmos, mais à frente, na verdadeira questão que se objectivou inicialmente, sem que, entretanto, se faça uma análise ao primitivo brasão de Macieira de Cambra, também são destacadas.

Uma pintura, ao cimo da escadaria, leva de imediato, a enganos e deturpações que urge clarificar e repor.

Referimo-nos também à proposta de classificação de imóvel de interesse
público, cuja deliberação municipal data do ano de 2001, a 8 de Outubro.

Por último, clarifica-se a situação administrativa da posse do edifício.

Ler em tamanho grande